Letra do Hino Nacional, com transposição para linguagem coloquial, do nosso dia a dia.


HINO NACIONAL
Letra: Joaquim Osório Duque Estrada
Música: Francisco Manuel da Silva

I


Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
(As margens pacíficas do Ipiranga ouviram)

De um povo heróico o brado retumbante,
(O grito de um povo heróico que, ao longe, pôde ser ouvido)

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos,
(E o sol da liberdade, com raios que brilhavam muito)

Brilhou no céu da pátria nesse instante.
Brilhou no céu do Brasil naquele momento.

E o penhor desta igualdade
(Se a garantia dessa igualdade)

Conseguimos conquistar com braço forte.
(Conseguimos conquistar com nossas próprias mãos,)

Em teu seio, ó liberdade,
(Por você, que nos deu a liberdade,)

Ó pátria amada
(Nosso peito desafia a própria morte!)

Ó pátria amada,
(Ó, país amado,)

Idolatrada,
(Idolatrado,)

Salve! Salve!
(Que você seja abençoado)

Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
(Brasil, se a imagem do Cruzeiro do Sul)

De amor e de esperança à terra desce,
(Brilha tanto no teu céu transparente e alegre,)

Se em teu formoso céu, risonho e límpido
(Um sonho intenso, um raio maravilhoso de amor e de esperança)

A imagem do cruzeiro resplandece.
(Desce até a Terra.)

Gigante pela própria natureza,
(A própria natureza te fez tão grande,)

És belo, és forte, impávido colosso,
(Você é belo, é forte, gigante sem medo)

E o teu futuro espelha essa grandeza.
(E no teu futuro continuará a ser grande.)

Terra adorada,
(Terra que amamos,)

Entre outras mil,
(Entre tantos outros,)

És tu Brasil
(Você, Brasil,)

Ó pátria amada!
(É o país que amamos.)

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
(Você é a bondosa mãe dos que nascem aqui,)

Pátria amada,
(Amada terra natal,)

Brasil!
(Brasil!)

II

Deitado eternamente em berço esplêndido
(Deitado para sempre em um berço grandioso,)
Ao som do mar, e à luz do céu profundo,
(Banhado pelo som do mar e pela luz do céu, que só aqui brilha tanto assim,)
Fulguras, ó Brasil, florão da América,
(Se destaca, ó Brasil, "preciosidade"da América",)

Iluminado ao sol do novo mundo!
(Banhado pelo sol que ilumina os novos continentes.)

Do que a terra mais garrida,
(Teus alegres e lindos campos,)

Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;
(Têm mais flores do que a terra mais produtiva;)

"Nossos bosques tem mais vida,"

(Assim como nossas florestas são mais belas)

"Nossa vida" no teu seio "mais amores".
(Nossa vida, quando estamos aqui, tem mais felicidade.)

Ó pátria amada,
(Ó, país amado,)

Idolatrada,
(Idolatrado,)

Salve! Salve!
(Que você seja abençoado)

Brasil, de amor eterno seja símbolo
(Brasil, que para sempre tua bandeira cheia de estrelas,)

O lábaro que ostentas estrelado
(Seja símbolo de amor eterno)

E diga o verde-louro dessa flâmula
(E que o verde-amarelo da bandeira diga)

- Paz no futuro e glória no passado.
(- Paz no futuro e honra e brilho no passado,)

Mas, se ergues da justiça a clava forte,

(Mas, se um dia você erguer sua arma da justiça em uma guerra,)

Verás que um filho teu não foge à luta,
(Vai ver que um filho teu jamais foge a uma luta,)

Nem teme, quem te adora, a própria morte.
(E quem te adora, não teme nem a própria morte)

Terra adorada,
(Terra que amamos,)

Entre outras mil,
(Entre tantos outros,)

És tu Brasil
(Você, Brasil,)

Ó pátria amada!
(É o país que amamos.)

Dos filhos deste solo és mãe gentil,
(Você é a bondosa mãe dos que nascem aqui,)

Pátria amada,
(País que amamos,)

Brasil!
(Brasil!)

2 comentários:

  1. Adorei o seu blog, parabéns!!!
    ( tente arrumar o hino, há um trecho com erro, logo na 1ª estrofe, depois de "em teu seio, ó pátria amada")
    Roberta Ucci

    ResponderExcluir
  2. Esta frase da primeira parte...
    Desafia o nosso peito a própria morte!

    ResponderExcluir

Não esqueça de dar sua opinião, deixe um comentário. Também avise-nos caso algum link esteja off. *-*