Plano de aula: como fazer, dicas e parâmetros...

A tarefa de professor não é nada fácil, pois exige dos mesmos muita dedicação, planejamento e estudo, pois tudo aquilo que é trabalhado em sala de aula merece ser revisto e bem preparado.
Para montar um plano de aula, o professor deve ir de encontro ao interesse de seus alunos, além dos conteúdos abordados nas séries, exigidos dentro dos Parâmetros Curriculares Nacionais, os PCNs.
Ir para a sala de aula sem preparar um bom material, afeta a qualidade da aula, pois o improviso prejudica no que diz respeito aos materiais necessários para a aula, como fazer experiências concretas, trabalhos de pesquisas, um conhecimento prévio do assunto, dentre vários outros.
O importante é que o professor prepare suas aulas buscando os melhores objetivos para as mesmas, aqueles que irão tornar o conhecimento alcançável aos alunos, além de promover as principais noções de cidadania para os mesmos.

Execução de uma atividade bem planejada

Um plano de aula deve conter as seguintes etapas:

1 – O tema abordado: o assunto, o conteúdo a ser trabalhado; 
2 – A justificativa: o motivo de se trabalhar determinado assunto; 
3 – Os objetivos gerais a serem alcançados: o que os alunos irão conseguir atingir com esse trabalho; com o estudo desse tema; 
4 – Os objetivos específicos: relacionados a cada uma das etapas de desenvolvimento do trabalho; 
5 – As etapas previstas: mais precisamente uma previsão de tempo, onde o professor organiza tudo que for trabalhado em pequenas etapas; 
6 – A metodologia que o professor usará: a forma como irá trabalhar, os recursos didáticos que auxiliarão a promover o aprendizado e a circulação do conhecimento no plano da sala de aula; 
7 – A avaliação: a forma como o professor irá avaliar, se em prova escrita, participação do aluno, trabalhos, pesquisas, tarefas de casa, etc. 
8 – A bibliografia: todo o material que o professor utilizou para fazer o seu planejamento. É importante tê-los em mãos, pois caso os alunos precisem ou apresentem interesse, terá como passar as informações. 

Cada um desses aspectos irá depender das intenções do professor, sendo que este poderá fazer combinados prévios com os alunos, sobre cada um deles.
O importante é dar a oportunidade de o grupo crescer tanto nos conteúdos escolares, aprimorando e enriquecendo seus conceitos, como no seu envolvimento social, a partir da sua participação no mundo como cidadão de bem, responsável e comprometido com um mundo melhor.
Através dessa preocupação e organização, com um trabalho bem elaborado, com certeza a aula se tornará mais agradável e rica, proporcionando maior envolvimento de todos, além dos ótimos resultados para a aprendizagem.

Por Jussara de Barros

Graduada em Pedagogia

Fonte: www.educador.brasilescola.com.

10 comentários:

  1. Nos,professores inconformados com essa politica do cala boca. Pedimos a palavra, cegos guiando cegos...Ora, " INCLUIR PARA EXCLUIR". Na verdade, as instituições pedagógicas estão virando um deposito de criaturas que não podem escolher...Futuro sombrio.
    Gostaria que todo o ministério publico fosse composto de professores realmente preocupados com o futuro da sociedade humana. Enquanto todo o lixo, é escondido embaixo do tapete da hipocrisia ,eu te abro a porta do elevador mas o mesmo não está lá. Até quando,até quando vamos aceitar boquiabertos feitos enormes latas de lixo...Ah, a educação é a salvação do mundo. Com certeza aos martirs da independencia...Professores.

    ResponderExcluir
  2. ter cuidado com a palavra de encontro, pois significa ir contra o que a proposta prega: Termo correto: ir ao encontro

    ResponderExcluir
  3. colegas com relação o termo de encontro significa ir contra, o correto seria ir ao encontro...

    ResponderExcluir
  4. concordo em gênero, número e grau com o colega Gustavo.È impressionante que a teoria é muito diferente da nossa dura realidade. O que somos obrigados para sermos aprovados em concurso e estudarmos aquelas teoras que não condiz com a nossa realidade é demais.

    ResponderExcluir
  5. Quando fechamos a porta da sala de aula, somos nós e o aluno, não tem Estado, sistema, somos só nós! Estamos semeando, muitas sementes... E eles, nossos alunos, podem até não entenderem no devido momento da semeadura, mas um dia, esta semente germinará, frutificará e se multiplicara, pois para a palavra falada ou escrita não há fronteiras. É certo, que haverão muitas sementes que terão muita dificuldade para crescer; mas.... ela foi semeada!
    Este é o nosso trabalho, semear!
    Feliz SEMEADURA EM 2014!

    ResponderExcluir
  6. Concordo plenamente, hoje em dia quem determina regras na escola são os alunos. Cada ano que passa o professor fica mais exposto à agressões e respeito está em último lugar, tanto dos alunos como dos próprios pais e ninguém toma qualquer atitude para mudar esse descaso. Somente sabe quem é professor e vive falando" palavrinhas bonitas" para não ter problemas futuros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo em termos com você, pois acrescento que a falta de respeito também vem de nossos administradores, que assumem cargos políticos e nos empurram "guela" abaixo, modismos educacionais incoerentes, quando não colocam os professores como quem nada sabe. e devem seguir "modelos". Se passei por uma academia, devo dar conta da minha formação e funçao. Aí vem outra questão, temos gestores, coordenadores que também são de cargos de confiança e quando devem agir com profissionais professores que não dão conta, não o fazem. Quem está errado? O que acontece com qualquer profissional, que não dá conta de sua função em uma empresa? É demitido, é obvio. E porque na educação, isso não acontece? Aí os bons profissionais pagam pelos incompetentes, os responsáveis não tomam a devida atitude. Coordenadores pedagógicos que fazem de tudo um pouco nas escolas (dão uma de assistente social, psicólogo, enfermeiro, conselheiro, etc), menos coordenar a área pedagógica. Sou Professora, mas enquanto tivermos as gestorias e coordenações de escolas definidas por afinidades de politicas partidárias, bem como nós educadores, não superarmos esse aspecto político partidário pela coerência e ética profissional social... Vamos reclamar do quê? Infelizmente temos muita culpa no cartório pela atual situação da educação, pois quando é pra defender uma educação de qualidade, vamos buscar apoio em políticos, e não em colegas e na união e defesa da Educação. Precisamos ser uma categoria profissional e não apadrinhados politicamente por um ou outro partido.

      Excluir
  7. Na teoria tudo e lindo, perfeito
    enquanto que a prática nos deixa a decepção
    de uma educação deficiente imposta por quem manda mais
    tantos anos de preparação para uma decepção.

    ResponderExcluir
  8. É tudo lindo no papel no dia a dia nada disso funciona, faltam materiais pedagógicos, o professor na maioria das vezes trabalha em mais de uma escola, ai fica saturado, e quando chega em casa pensa que vai descansar.......... doce ilusão, tem que ir preparar sua próxima aula. Claro que não dá para ir para a sala de aula sem nada preparado, mas deveriam repensar esses "modelos" impostos a nós de "plano de aula".

    ResponderExcluir

Não esqueça de dar sua opinião, deixe um comentário. Também avise-nos caso algum link esteja off. *-*